Tempo de atuação no mercado não pode ser critério para desclassificar empresa

Você sabia?

Tempo de atuação no mercado não pode ser critério para desclassificar empresa. Acórdão 1036/2019 TCE/PR Pleno.

No caso analisado, o edital exigia tempo mínimo de 8 (oito) anos de atuação, visto que inseriu dois critérios de pontuação, primeiro para empresas que comprovassem de 8 (oito) até 10 (dez) anos e segundo para empresas com mais de 10 (dez) anos de experiência, de modo que as empresas que não atingissem qualquer pontuação seriam desclassificadas.

Trata-se de cláusula que restringe a ampla participação de interessados, violando os princípios da isonomia e competitividade, visto inexistir correlação entre o tempo de atuação da empresa e a eficiência na prestação dos serviços que se pretende contratar.
Exemplo de imagem

Sobre o tema, o Acórdão 2024/2016 TCU Plenário dispõe que: “A pontuação do tempo de atuação no mercado da sociedade de advogados licitante, identificada subitem 7.6.1.1 do Edital de Concorrência Pública 1/2016, afronta o Princípio da Competitividade expresso no art. 3º, § 1º, inciso I da lei 8.666/1993, bem como fere a isonomia do certame, em oposição ao art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal de 1988, ao caput do art. 3º da Lei 8.666/1993 e ao caput do art. 2º da Resolução CDN 231/2011, além do disposto no Acórdão 6.164/2011-TCU-1ª Câmara”. 

O TCU já se manifestou contrariamente a desproporcionalidade de pontuação em razão do tempo de atuação, através do Acórdão 6164/2011 - Plenário: “Igualmente, há que se criticar a pontuação pelo tempo de constituição do escritório de assessoria jurídica, tanto pela desproporção na atribuição de pontos, como pela falta de correlação necessária entre o tempo de constituição e a eficácia na prestação dos serviços. No primeiro caso, veja-se, por exemplo, que o escritório estabelecido há seis anos obteria o dobro de pontos que a sociedade de advogados constituída há cinco anos.” 

Já o Acórdão 944/2006 Plenário, dispõe que: "É ilegal, em processo licitatório, a atribuição de nota técnica com base no tempo de atuação da proponente no mercado” 
 
Concorda com tais entendimentos?

Seu município desclassifica empresas com pouco tempo de serviço?

Acompanhe nossas redes sociais:
Instagram
Facebook
Twitter
Youtube

Clique aqui para compartilhar este artigo no WhatsApp!

Gostaria de citar esta página em algum parecer, artigo ou peça processual? CLIQUE AQUI e preencha: nome do autor (José Roberto Tiossi Junior ), título, site (apenas copie e cole) e a data de hoje. Depois clique em “gerar referência”.
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR E-BOOK GRATUITO "COLETÂNEA LEGISLAÇÃO - LICITAÇÕES E CONTRATOS"

Quer ampliar seus conhecimentos sobre Licitações e Contratos? 
Basta se cadastrar para receber muito conteúdo e ser avisado sobre novos treinamentos com o Prof. Tiossi Jr.

RECEBA CONTEÚDO DE QUALIDADE DE FORMA GRATUITA 

Cadastre-se